Sistema de Gestão da Alimentação Escolar


                 A Alimentação Escolar, existe desde a década de 50...

        Em 2005 foi criado o SAESC, um sistema de gestão e acompanhamento do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE.

        O SAESC – Sistema de Alimentação Escolar foi desenvolvido para facilitar o trabalho dos entes envolvidos na árdua tarefa que é oferecer alimento no ambiente escolar, seguindo as diretrizes da lei 11947/2009.

As premissas básicas do SAESC são:

  1. É possível ofertar alimentação escolar de qualidade se, e somente se, houver planejamento na sua elaboração, na aquisição, na armazenagem, na distribuição, na preparação e no acompanhamento de todos estes processos;

  2. É possível incentivar o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e da economia local de cada Município Brasileiro se os responsáveis pela oferta de alimentação escolar utilizarem a informação correta e rapidamente, para integrar o que se pode produzir na região com o que se pode ofertar como alimentação escolar;

  3. É possível incentivar a participação efetiva da comunidade no acompanhamento das ações dos responsáveis por esta alimentação.

Explicando:

A premissa 1:

  1. Elaboração: Para se preparar uma boa refeição, é necessária uma boa receita. A boa receita passa por um estudo profundo dos percaptas, dos valores nutricionais do alimento, da definição dos pratos, do Cardápio bem preparado e balanceado e da manipulação correta dos alimentos;

  2. Aquisição: A boa receita passa pela escolha adequada de bons alimentos, nas quantidades corretas, dos melhores Fornecedores e dos melhores preços.

  3. Armazenagem: O alimento para se manter saudável, precisa ser muito bem armazenado. A armazenagem bem feita, passa pela escolha correta do local, do período de tempo, das condições de temperatura e umidade e pela manutenção das características originais de qualidade do alimento;

  4. Distribuição: A distribuição adequada passa pela escolha correta de rotas, de tempo de chegada até o destino, de controle adequado de entrada e saída, tanto em qualidade quanto em quantidade;

  5. Preparação: O alimento para ser bem preparado, precisa ser corretamente manipulado e é claro, se basear em uma receita. Para se seguir uma receita, é necessário usar a quantidade correta, os ingredientes e que as instruções estejam claras para serem obedecidas.

  6. Controle: É a principal tarefa dentre todas, pois todos os envolvidos devem se preocupar com ela. Controlar o que está sendo elaborado, adquirido, armazenado, distribuído e preparado e se todo o planejamento está sendo cumprido e está sendo possível cumpri-lo, dentro do orçamento e das normas vigentes.

A premissa 2:

    Demanda e Oferta: O alimento escolar pode ser um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento local, principalmente das comunidades Produtoras de alimentos e da indústria local. Tome-se como exemplo um município com 10.000 alunos matriculados na rede pública. O responsável pela elaboração dos Cardápios para a alimentação escolar, pode incluir neste Cardápio um alimento que necessite ser adquirido ou produzido na própria cidade ou região. Imagine se incluir no Cardápio, “bolo de milho” para ser ofertado uma vez por semana para todos os alunos. Imaginemos que se produza um bolo de milho de 500 gramas e que este bolo possa ser fatiado em generosas fatias para 10 alunos, atingindo a necessidade nutricional definida pelo percapta. Com um cálculo simples, chegamos à necessidade de, semanalmente, adquirir 1.000 unidades de bolo de 500 gramas, totalizando 500Kg de bolo para uma única inserção no Cardápio. Alguém terá que produzir estes bolos. Se a própria comunidade produzir, toda a renda oriunda desta demanda ficará no próprio município. Impostos, emprego, satisfação e orgulho são algumas das conseqüências. Agora expanda o exemplo para outros tipos de alimentos que podem ser inseridos na alimentação escolar e que podem gerar riqueza para o município e região. Mas como chegar a esta Situação sem conhecer o Cardápio e o perfil da sua região?

A premissa 3:

    Controle Social: Quando muitos possuem filhos na escola, fazem parte de uma comunidade, participam do desenvolvimento dessa comunidade e zelam por aquilo que é seu.

        Voltando ao SAESC, as premissas acima são a base de funcionamento do sistema. É para isto que ele foi concebido.


Geral

Consultoria em Alimentação Escolar

É disponibilizado às Entidades Executoras um serviço diferenciado de consultoria para auxiliar no...

—————

Nosso Folder

Sistema de Alimentação Escolar BWI.pdf (471319)

—————


Agricultura Familiar na Alimentação Escolar

Data: 23/10/2017

De: Moises Miranda

Assunto: Detalhes

Gostaria de conhecer melhor o sistema para implantar em alguns municipios que damos consultoria na educação

—————

Data: 30/11/2017

De: Ivo Paiva

Assunto: Re:Detalhes

Para maiores informações, solicitamos que entre em contado através do Email ivopaiva@bwi.net.br

—————

Data: 07/11/2016

De: Silmara

Assunto: Licitação

Dados para encaminhar solicitação de orçamento para processo Licitatório.
Fone: 42 2122-5421
email:silmara.merenda@gmail.com

—————

Data: 17/08/2013

De: leonice natividade nunes souza

Assunto: ava

quero saber tudo sobre alimentaçao escolar

—————

Data: 07/02/2014

De: Sandra

Assunto: Re:ava

Olá Leonice, voce é de qual municipio. Poderia nos falar um pouco sobre seu trabalho?
O assunto alimentação escolar é muito vasto. Fica vago voce dizer que saber tudo. Poderia nos esclarecer melhor o que voce precisa Saber?

—————

Data: 13/02/2013

De: Sandra

Assunto: Compra da agricultura familiar para a alimentação escolar...qual a melhor estratégia?

Olá, sou nutricionista, abri essa discussão para podermos trocar ideias sobre as estratégias mais recomendadas e/ou exitosas para a aquisição de alimentos da agricultura familiar para a alimentação escolar.
Iniciado por Sandra Oliveira.

—————

Data: 19/05/2013

De: Cláudia Santos

Assunto: Re:Compra da agricultura familiar para a alimentação escolar...qual a melhor estratégia?

A melhor estratégia ainda é uma articulação bem feita, seguindo o passo a passo disponível na internet. Mas não adianta achar que não vai dar trabalho, porque as organizações da agricultura familiar (associações e cooperativas) ainda precisam de muitos esclarecimentos sobre a comercialização dos alimentos da agricultura familiar para a alimentação escolar. Ainda existem muitas dúvidas entre as formas de aquisição do PAA do MDS com a aquisição para a alimentação escolar. Nós nutricionistas temos que nos envolver cada vez mais nesse processo que é bem interessante e nos traz muitos conhecimentos sobre a Intersetorialidade tão necessária para a execução dessa política pública tão importante que é o PNAE.

—————



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!